Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

(foi) longo o dia

uma pena esvoaça ao som do vento
uma folha dança num ritmo frenético
os pássaros em bando

é noite
Está um frio de morte, um gelo glacial
chove, chove muito
água do árctico

em casa estou eu, estou eu
é noite, está frio
cá dentro
de mim

O Juíz

E o réu, cumprimentam-se, os advogados sem esforço bebem um café tardio.
A audiência nervosa, espera pela sentença acordada.
O jogo combinado, ...

E todas as histórias parecem repetir-se, um ciclo que se desrenova.

Vem a noite, valerá a pena o sono?
Sempre.

embala-me

deixa-me quieto
envolve-me com o teu andar
perturba-me a alma
corrompe-me o corpo

noite dentro, tarde finda
quando quiseres, onde quiseres
como te deixar frenética

quero degustar-te
seduzir-te com um toque
acariciar-te com uma flor
derrubar mel sem querer
sobre ti, para que o sabor seja intenso
apaixonante

reduzir-te a amor

Mãos de Vénus

onde me encontras
eu sou-te, onde nos somos
é a vida

ambos como um fio de mel
que te escorre dos lábios
e a tua língua, os teus lábios
esse fio de mel que me és

amor?
prazer eterno
os teus gemidos, o céu aqui
nas nossas mãos

a vida é agora