Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

UM

... reparo que uma folha de papel já tem escrita toda a história de uma humanidade livre... as crianças brincam totalmente livres é duma beleza que me deixa transtornado...

Os dias sucedem-se em espaços e movimentos e posturas de repouso... o fluxo de energia é suave e alegre, ... que maravilha, ser Humano é tão amável e estonteante...

Olho a partir de ti e vejo-me finalmente ... real!...

Um copo de nectar divino

... liberdade...

aquela beleza é Una

Uma árvore intemporal

nos teus seios renasço

jovem... sempre...

dia a pós dia renovo-me nesse amor

nessas tuas delicias imaginadas

vem enrola-me nas tuas pernas

cobre-me de beijos

faz-me cosmos e mãe terra

semente e semeadura

as estrelas e as flores
e todos os bichos do mundo
num mar ou num rio puro
nessa cascata e na piroga

eu sou tu és num fruto da terra
nós somos...para sempre!

aqui e agora em mim todos os amores e a terra toda
e todos os átomos todas as moléculas
todas tudo em todas... explosão interna
Acordo para nós ... um!

morreu a morte

Uma explosão de luz azul violeta de tonalidade anis... numa fresta da existência... uma galáxia ... o vazio... o nada...

olhos esbugalhados... parado no meio de um prado... de pé no meio de um rio... escorregando vagas marítimas como se de neve tratasse...

a conversar com um tigre e uma serpente escuta-nos atentamente...

sócrates e platão ao fundo numa mesa de café trocam olhares cúmplices com vénus

mais além Fernando Pessoa e António Lobo Antunes e o Almada Negreiros falam com Dali e Picasso suponho que o tema é gastronomia tal a volúpia dos olhares

passa uma escultura bela de olhos verdes e andar firme sou um quadro inerte

mais além um velho muito velho dá cambalhotas e mais cambalhotas o petiz olha-o com indiferença e comoção... sabe que as coisas agora são assim... para sempre

as árvores e as flores habitam connosco nas nossas casas e sabemos voar e estar em silêncio... e os amores... oh os amores são tão intensos que a formação das estrelas lhes ficam sempre aquém... …

Sabedor...

Conheço-me...

É uma árvore velha com
ramos novos

olho e vejo um espaço e
outro espaço

vazio e outro vazio

luz e sombra

dia e noite

Só nesta loucura me sei eu

doutra forma não sou...

[naquela caixa estão todos adormecidos...]

Aurora

... o teu nome...
diz-me que és o novo...
a balbúrdia da vida

somos nós numa cama de...
loucas emoções
tórridas sensações

soubesses os meus amores
e derretida de delicias

seríamos uma cama
um amor
uma canção infinda

esse teu olhar
o teu corpo
e todas as mulheres em ti
e de pois de ti todas as mulheres...

no teu extase todas as vidas

o céu o mar os astros
a vida plena...

liberdade...

Infinito Momento...

Calmo... silêncio...
Noite... dia... amor ...

Todas as cores...
Um orgasmo molecular

Unidade relativa...

Cosmos em expansão... nós...
Livres Unos, expectativas perfeitas...

Orgasmos multiplos
Paz... corpo e vida


morte... ressurreição...

Quando me sento junto de ti...

A vida ganha no silêncio de todas as árvores
as cores do arco-iris

e assim subitamente as cores renascem...

lá ao fundo uma criança brinca acompanhada

do vento nosso irmão...