Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2017

Alguém com um receiozito do jogo damanhã?

Desde os tempos de Quique Flores que não me cruzava com este sentimento, esta certeza de que vai correr (...), então se o Douglas for o lateral direito, duvido que tenha coragem sequer de assistir ao jogo.
Os tempos de Quique Flores foram os tempos do horror, uma época absolutamente dantesca. Se amanhã acontecer o que todos infelizmente suspeitamos que possa acontecer, espero que haja dignidade no presidente e no treinador.
O Shaktar de Paulo Fonseca continua a dar cartas. Marco Silva está em 4º, Tuchel está desempregado, ... e nós ansiamos por ver um Benfica a jogar futebol.
Que aconteça o melhor.

Contra o United se não quiseres passar vergonhas!

Vamos estar à defesa, ÓBVIO!


Svilar (espero que esteja preparado)

Salvio, Luisão, Rúben Dias, Eliseu


Zivkovic, Samaris, Pizzi (se estiver em condições físicas), Fejsa e Diogo Gonçalves

Raúl

Escolho estes jogadores pelo seu perfil físico-atlético, disponibilidade para o combate.

Tuchel, O Impossível!

Tuchel dar-nos-ia futebol, "demasiado arriscado", mas teríamos vertigem e não esta coisa. Mas como pode ele querer vir para cá? Se viesse era para preparar o ano que vem, porque esta época!

Svilar é jogador para hoje, Douglas nem para amanhã, Gabriel pode regressar a Itália, mas o problema é outro, ou melhor são outros, os manda chuvas.

Diogo Gonçalves e João Carvalho são jogadores, o Chrien não se percebe. O Krovinovic tem muito que crescer. O Grimaldo está mesmo em baixo.

Rui Vitória tem que ter a honestidade e abdicar porque o presidente não tem capacidade para assumir.

Sonhar

O sonhador encanta-se com o voo da andorinha, delicia-se com o sabor do medronheiro, esquece o dia de ontem e ... num afago pega no filho ao colo antes que seja amanhã.

O Silêncio da Baliza

Do outro lado uma correria sem fim, guardo a porta da felicidade de outros, esta casa não é nossa, é desconfortável este portal.
Como se as portas não devessem estar escancaradas para a felicidade, o jogo é ao mesmo tempo alegria e desprezo pelos básicos da fraternidade, como se fosse.