Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

A vitória...

enorme canção da existência... sopro de fé esconça... olhas um coração cansado e dás-lhe alegrias que podem ser maiores... eleva-te... desfruta da arte... a arte é a vitória! Não existe outra vitória mais bela que a apologia da arte... de viver sabiamente!

Venço ao me conhecer melhor e aí todos os golos ganham significado... conheço-te, sei que não me reconheces... e o golo é esquecido... para sempre... sem cansaços ou tristezas... é somente um jogo que nunca foi jogado!

Amante...

Mulher... em ti repousa toda
a paixão inútil...

Nos teus seios faço-me homem
no teu corpo vida

o universo perfeito tem o teu nome

beleza profunda

o teu corpo dá sentido ao meu olhar

extase

o põr do sol tem perfume de mulher

a lua com o seu travo a menta enebria-me de ti

o verde o azul o negro o castanho o mel
no mar no ceú na terra na noite encontro-me por ti

Adoro toda a tua vida
as tuas delicias sou eu não és tu

amante eterno... corações selvagens... livres...

cosmos silencioso e explosivo... os teus amores

Liberdade...

Chove torrencialmente, saio para a noite
A lua tem luz própria

e...
Vivo essa intimidade cumplice com a vida
... somos dois estranhos que se reconhecem...

a minha amiga deixou-me e eu estou só

as ondas do mar falam-me
doces palavras abraços eternos

sento-me calmo sobre um olhar
os olhos deixam-me em extase profunda

servo de todos os olhares
amante desses olhos belos desses corações puros

sei que a vida tem luz própria

eterno

a paz tem um nome juventude
a liberdade um brasão - laranja amarelo verde vida!

azul turquesa

De passo apressado
páro subitamente
cruzo-me com esse olhar doce
essa peculiaridade de vida
frente a frente a tocar-nos num silêncio e olhar profundos

verde mar
um corpo que doí... que a beleza me mata precocemente
uma alma aliciante
uma perfeição molecular

as loucuras que vivemos
são vida a pulsar - o universo a se recriar

nada depois da paixão
nada depois da volúpia
nada depois do orgasmo

olhamos a vida e acreditamos na alegria e no entusiasmo

está uma tarde agreste
uma cama lavada
um corpo perfeito

existe uma qualquer sensação
misto de paz entusiasmo e vida

eu tu nós este momento eterno!

esqueço os juízos o (a ideia)
bem e o mal... só existe o Amor!

só existes tu para mim!

O teu mel, esse olhar que quero
só para mim

os teu seios,o teu ventre... o teu corpo que dá sentido
à vida!

Sinto-me só...

Esta tarde é uma daquelas...
que... me sinto só...
acompanhado dos meus amigos [muitos]
revejo os meus dias, as alegrias
e os cansaços persistentes...

os amores são controversos
o ego afirma-se na sua pujança inexorável...
eu aqui discorrendo ideias pouco singulares...reconheço...
que nem tudo é inútil
existem inutilidades amorosas
conversas e escritos ...
momentos desvazios preenchidos de palavras
desomoções

mas a paz vale a pena, o desapego é o meu irmão

a morte uma amiga distante...porque a vida

quer renovar-se...
sinto-me só nas utopias e nos quereres desavindos de mim

sei que quero a unidade... a ironia só serve
para me escandalizar comigo na antitese de mim

estou tão só... tão perdido de mim...
tão serenamente só...

tão em paz...

desestranho-me conheço-me tão bem!