sábado, 3 de dezembro de 2016

Carta Aberta à Direcção e equipa Técnica do SLB!


Sugiro que o Plantel da equipa A tenha dois jogadores de valor idêntico para cada posição e que a Equipa B tenha um Onze, onde os titulares se necessário possam assumir a titularidade na A. Estes onze da B podem treinar com a equipa A, aqui e ali.

Peço que a circulação de bola da equipa A seja agressiva e de qualidade, cito como exemplos o Dortmund e as equipas de Guardiola e António Conte, entre outras,... solicito que a finalização seja treinada em todos os treinos e se discutam os erros técnicos no momento da execução quer nos treinos quer nos jogos.

Este Vasco Santos não tem condições para arbitrar o Benfica.

Futebol e o seu lado negro! O ser humano que não se respeita.


Ontem a actuação de Vasco Santos e dos jogadores do Marítimo, fizeram-me mergulhar no lodo que é a psique humana e as personalidades que abdicam da sua humanidade básica. A indignidade com que muitos seres humanos vivem (n)o seu dia a dia é nojenta, colocando-os bem abaixo dos animas selvagens e domésticos. Isto é muito claro no futebol, na política, na religião, na economia, no trabalho e em muitas ideologias, e isto é realmente muito triste.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

a vida toda...


uma sala vazia, o ruído lá dentro, cá fora,...
estamos sós,
vencemo-nos, são derrotas, as minhas e as tuas, somos
uns dos outros e não sabemos
perdidos nos dias iguais nas derrotas deles

venço-me neste silêncio que se segue, sete vezes até daqui a 4
neste número sou livre, somos todos

aqui estão os dias todos

tu e eu e as longas noites de prazer, uma vida se música poesia silêncio

não temos donos, estão esquecidos

todos os nossos momentos são de unidade e alegria
amargas esperanças, inúteis

sábado, 16 de julho de 2016

vermelho vida



a noventa minutos de mim

corações apressados, mãos frias
sento-me levanto-me
olho em volta silêncio
gritos palmas, urros
vozes vidas amargas, corações alegres

essa glória que não é minha
o golo

o sonho tem tantos nomes
corações e vidas do mundo

Vencemos hoje, se ontem perdemos
hoje ficamos mergulhados
em abraços
de desconhecidos

a vida é assim
um jogo de futebol
uma época inteira que chega ao fim

este verão é sonho outra vez

domingo, 3 de julho de 2016

esta casa sem portas


caiada de branco voltada para o mar
nas mãos de uma mulher deusa
olhos verdes, cabelos negros, alma guerreira

as noites de amor são refeições sagradas
bebidas lentamente como se o vinho nunca chegasse

o seu corpo é a eternidade mergulhada no mundo

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Paixão que Alimenta a Carne


rasga-me a pele
penetra-me a alma
enche-me de carícias
vivamos loucuras

que as auroras se confundam com os ocasos

quinta-feira, 26 de maio de 2016

reencontros de eras



inCapazes do Sonho,
Relembramos a vida toda, numa noite mal dormida, num espelho que somos, uns de outros, olhares fugazes, suspiros por outros dias, outras cidades, eras de sofrimento, sonho e alegria... dormentes, ausentes, ansiosos por amanhã, sem vitórias nem derrotas por vibrar, gritos de desespero em unidades mentira, rasga-se o coração do herói, notas de desespero em mãos sujas de cansaço e dor de outros, sonolentos, imberbes, desconectados.
Nem amanhã é outro dia nem tu és tu! Somos nós, somos um, espelhos do infinito, acordes e silêncios irmãos, recorda o jogo, livre é o que não sabe.