quinta-feira, 19 de julho de 2012

Poesia...

Sentimentos

Vergastada no ar
chicote de emoções e perduras
em ti por mim
Sofro mágoas de mentiras

calmas e cruas noites
de amor cão, de gatos sofridos
de moléculas de prazer
Olhos que se negam pela furtuita
impossibilidade de tu seres eu em ti

Sentada numa cadeira de velcro
Pernas arqueadas
ventre destapado, olhar perdido
corpos suados, gritos suaves

Calmas emoções
que falam de amor cru
de mentes pobres
de dias ricos de nada

amor humano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Convencidos da Vida

Muito para lá do futebol, uma coisa entranhada no sangue, nos ossos, nos músculos daqueles que sabem que são melhores!, o caldo de ironia qu...