quarta-feira, 27 de julho de 2016

a vida toda...


uma sala vazia, o ruído lá dentro, cá fora,...
estamos sós,
vencemo-nos, são derrotas, as minhas e as tuas, somos
uns dos outros e não sabemos
perdidos nos dias iguais nas derrotas deles

venço-me neste silêncio que se segue, sete vezes até daqui a 4
neste número sou livre, somos todos

aqui estão os dias todos

tu e eu e as longas noites de prazer, uma vida se música poesia silêncio

não temos donos, estão esquecidos

todos os nossos momentos são de unidade e alegria
amargas esperanças, inúteis

sábado, 16 de julho de 2016

vermelho vida



a noventa minutos de mim

corações apressados, mãos frias
sento-me levanto-me
olho em volta silêncio
gritos palmas, urros
vozes vidas amargas, corações alegres

essa glória que não é minha
o golo

o sonho tem tantos nomes
corações e vidas do mundo

Vencemos hoje, se ontem perdemos
hoje ficamos mergulhados
em abraços
de desconhecidos

a vida é assim
um jogo de futebol
uma época inteira que chega ao fim

este verão é sonho outra vez

domingo, 3 de julho de 2016

esta casa sem portas


caiada de branco voltada para o mar
nas mãos de uma mulher deusa
olhos verdes, cabelos negros, alma guerreira

as noites de amor são refeições sagradas
bebidas lentamente como se o vinho nunca chegasse

o seu corpo é a eternidade mergulhada no mundo

Os Convencidos da Vida

Muito para lá do futebol, uma coisa entranhada no sangue, nos ossos, nos músculos daqueles que sabem que são melhores!, o caldo de ironia qu...