terça-feira, 14 de julho de 2020

Carta Aberta à Nação Benfica



Caros amigos e amigas,

O Presidente Luis Filipe Vieira tem sido conectado a variadíssimos processos judiciais, independentemente de ser ou não culpado, parece-me do mais elementar bom senso não termos como presidente uma personalidade que infelizmente se encontra nesta situação. O Benfica possui no seu universo de sócios milhares de pessoas capazes de levar por diante os destinos do nosso querido clube com competência e rigor. Exorto-vos a todos a considerarem este argumento.
No meu entender para salvaguardar os interesses e o bom nome da instituição Luis Filipe Vieira devia demitir-se e abster-se de ir a votos até a sua situação jurídica estar totalmente esclarecida de forma a proteger o clube que tanto ama e que até tem sido um fardo para a sua vida pessoal e familiar como tem reiterado várias vezes, não me parece razoável continuarmos a pedir tamanho sacrifício.

Parece-me muito razoável a minha "proposta", grato pela vossa atenção.

PS: Qualquer sócio e adepto do Benfica que não seja funcionário de LFV "tem" que se afastar da personagem, isto se tiver respeito pela história e filosofia do clube. Os ditos antis andam a pregar no deserto há mais de uma dezena de anos.

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Regressa Benfica


Que regresse o bom futebol de ataque, circulação de bola poderosa e golos muitos golos e ser campeão 8 anos de seguida e fazer champions de quartos de final e meias finais e quem sabe.
E contratar uma defesa nova completa, um médio diferenciado e 2 avançados com golo.

Regresse a inteligência e o bom senso.

domingo, 12 de maio de 2013

Benfica... no coração

De pé... sozinho
uma bancada fria de betão armado até aos dentes
de um lado a vitória do outro lágrimas de dor

o sol queima
nesta noite de fantasmas vivos
eternos cansados de matar

quando era alegria
quando éramos jogo
os inimigos do jogo

os homens e as mulheres
mataram o meu querido jogo
com palavras putridas corações desalmados

fecham-se as portas
desligam-se os holofotes
morreu o jogo

sábado, 5 de janeiro de 2013

Estirador

Um bloco de pedra
Onde escrevo na lápide
a vida que não sou...

Convido-te para uma longa noite de amor

E se quiseres direi que te amo

e no êxtase do encontro

cada um será livre

porque sem ti livre não sou

Só no estirador
na palavra eu vivo

a vida... fora dele é tudo

uma página cheia de cores desconexas...

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

UM

... reparo que uma folha de papel já tem escrita toda a história de uma humanidade livre... as crianças brincam totalmente livres é duma beleza que me deixa transtornado...

Os dias sucedem-se em espaços e movimentos e posturas de repouso... o fluxo de energia é suave e alegre, ... que maravilha, ser Humano é tão amável e estonteante...

Olho a partir de ti e vejo-me finalmente ... real!...

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Um copo de nectar divino



... liberdade...

aquela beleza é Una

Uma árvore intemporal

nos teus seios renasço

jovem... sempre...

dia a pós dia renovo-me nesse amor

nessas tuas delicias imaginadas

vem enrola-me nas tuas pernas

cobre-me de beijos

faz-me cosmos e mãe terra

semente e semeadura

as estrelas e as flores
e todos os bichos do mundo
num mar ou num rio puro
nessa cascata e na piroga

eu sou tu és num fruto da terra
nós somos...para sempre!

aqui e agora em mim todos os amores e a terra toda
e todos os átomos todas as moléculas
todas tudo em todas... explosão interna
Acordo para nós ... um!

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

morreu a morte

Uma explosão de luz azul violeta de tonalidade anis... numa fresta da existência... uma galáxia ... o vazio... o nada...

olhos esbugalhados... parado no meio de um prado... de pé no meio de um rio... escorregando vagas marítimas como se de neve tratasse...

a conversar com um tigre e uma serpente escuta-nos atentamente...

sócrates e platão ao fundo numa mesa de café trocam olhares cúmplices com vénus

mais além Fernan
do Pessoa e António Lobo Antunes e o Almada Negreiros falam com Dali e Picasso suponho que o tema é gastronomia tal a volúpia dos olhares

passa uma escultura bela de olhos verdes e andar firme sou um quadro inerte

mais além um velho muito velho dá cambalhotas e mais cambalhotas o petiz olha-o com indiferença e comoção... sabe que as coisas agora são assim... para sempre

as árvores e as flores habitam connosco nas nossas casas e sabemos voar e estar em silêncio... e os amores... oh os amores são tão intensos que a formação das estrelas lhes ficam sempre aquém... e vejo nessa realidade um pouco de despeito alegre na parte das irmãs ensolaradas...

a beleza de tudo é tão profunda que só no sono o repouso é absoluto...

é tal a alegria que viver é irremediavelmente aquilo a que todos aspiram...

os poetas e os jardineiros juntam-se na mesa do café com o agricultor e o engenheiro de luzes e o filosofo por incrível que nos possa parecer nunca está confortável ou confiante... curioso muito curioso... o que será isso ou... porque será?

Levanto-me... vou ser-me em ti... penetro o escuro iluminado... a noite bendita... morreu a morte!

Carta Aberta à Nação Benfica

Caros amigos e amigas, O Presidente Luis Filipe Vieira tem sido conectado a variadíssimos processos judiciais, independentemente de ser ...