Poesia Viva


de mãos nuas,
à espera de um abraço,
de uma palavra, de um sorriso,
de um silêncio cúmplice,
e este cheiro a noite súbita, como se me fizesses renascer,


os grilos, nesta noite morna de amantes intemporais
Humanidade

Comentários